© News Farma 2019
Todos os direitos reservados

O acesso à área reservada do Cardio Talks, bem como a receção das suas newsletters é restrita a profissionais de saúde.

terça, 07 maio 2019 17:18
Abordagem integrada da proteção cardiovascular
Abordagem integrada da proteção cardiovascular

“Abordagem integrada da proteção cardiovascular” foi o tema da sessão patrocinada pela Bayer que integrou o programa científico do Congresso Português de Cardiologia (CPC) 2019. Presentes estiveram o Dr. Daniel Ferreira e o Dr. Carlos Aguiar, para “Uma viagem pela inovação de Rivaroxabano”, e o Prof. Doutor João Morais e o Prof. Doutor Ricardo Fontes-Carvalho, para a apresentação dos “Novos caminhos na proteção vascular – O estudo COMPASS”.

Para abrir o simpósio, o Dr. Daniel Ferreira focou-se no tromboembolismo venoso, responsável por “540 mil mortes por ano, só na União Europeia”. “Uma larga proporção de doentes coronários tem patologia polivascular”, o que sublinha a importância de um tratamento que previna eventos tromboembólicos nestes doentes.

Por sua vez, o Dr. Carlos Aguiar referiu que “o TEV é a terceira doença cardiovascular mais comum, logo após o enfarte do miocárdio e o AVC”. Assim, depois de explicar a fisiopatologia do TEV, o cardiologista deu a palavra ao Dr. Daniel Ferreira que apresentou os estudos EINSTEIN-DVT e EINSTEIN-PE, onde se observou que a recorrência de TEV foi menor no grupo de doentes tratados com rivaroxabano, sendo a taxa de eventos hemorrágicos major significativamente inferior neste grupo, inclusive nos doentes frágeis.

Desta maneira, o preletor esclareceu que “estamos em condições de mudar de anticoagulantes injetáveis para terapêuticas orais mais eficazes e igualmente seguros.” Em seguida, o Dr. Daniel Ferreira, apresentou os estudos EINSTEIN EXT e EINSTEIN CHOICE, evidenciando que "o perfil de eficácia de rivaroxabano é favorável nas diversas fases de tratamento”, incluindo nos casos com necessidade de extensão da terapêutica.

Mais à frente, os especialistas abordaram a temática da fibrilhação auricular, patologia comummente preconizadora de AVC e/ou Embolia Sistémica. Os dados da “Global Prospective Safety Analysis of Rivaroxaban” (2018), revelam a mais-valia da utilização de rivaroxabano na prática clínica: 99% dos doentes livres de AVC/ES, 98% livres de hemorragia major e 96% dos doentes sem qualquer evento cardiovascular. Desta forma, o perfil de eficácia e segurança de rivaroxabano é consistente em toda a escala de CHADS2VASC2, como demonstrado no estudo de mundo real XANTUS (2016) e no ensaio clínico ROCKET AF (2011).

Novos caminhos na proteção cardiovascular – estudo COMPASS

“Risco persistente de eventos cardiovasculares” foi o tema da palestra do Prof. Doutor João Morais. Ao longo da mesma, o preletor apresentou dados do registo REACH, no qual se verificou que as pessoas com doença arterial coronária têm elevado risco CV se, concomitantemente, tiverem enfarte do miocárdio, doença arterial periférica, insuficiência cardíaca, diabetes ou doença renal crónica.

De seguida, o Prof. Doutor Ricardo Fontes-Carvalho focou-se no estudo COMPASS, na qual se observou que rivaroxabano, na dose vascular de 2,5 mg 2x/dia, em associação com aspirina 100 mg/dia, reduziu o número de eventos adversos CV major (MACE) em 26% (morte CV 25%, EM 14%, AVC 44%) e mortalidade por todas as causas em 23%. A apresentação demonstrou ainda que há uma melhoria do risco-benefício ao longo do tempo, onde inclusive o risco de hemorragia major foi diminuindo.

Considerando os doentes com CAD e as várias patologias concomitantes, também nestes a dose vascular de rivaroxabano demonstrou benefícios na redução de MACE. Assim, dadas todas as mais-valias relatadas neste ensaio clínico, a Comissão Europeia aprovou a associação de rivaroxabano + ácido acetilsalicílico para a prevenção de eventos aterotrombóticos em doentes com CAD ou PAD sintomática.

Seta Anterior
Artigo Anterior